Quiropraxia para nervo ciático

                         Quiropraxia e nervo ciático atacado e inflamado

 #quiropraxia #nervociatico #dor #coluna  #lombar #costas #saojosesc #florianopolis #palhoca #biguacu #tratamento #atendimento #vicomassagista

 

A quiropraxia e o nervo ciático

O nervo ciático é o maior nervo do corpo humano. Ele se estende da parte posterior do quadril, desce por trás da coxa e do joelho das duas pernas, até chegar ao maior dedo do pé.

Quando esse nervo começa a doer é sinal de que existe alguma inflamação, compressão ou irritação de uma ou várias raízes nervosas que formam o nervo ciático. Para tratar essa dor, a quiropraxia pode ser uma boa alternativa.

A quiropraxia é uma terapia alternativa que tem a intenção de curar dores musculares, colocar as vértebras no lugar e, assim, melhorar o sistema nervoso e a qualidade de vida das pessoas, sem que seja necessário usar remédios ou cirurgias invasivas. Como a dor no nervo ciático pode ser desencadeada por alguma vértebra que está fora do lugar, essa técnica ajudaria a colocar a vértebra de volta no lugar.

quiropraxia atua também aliviando as compressões que o nervo ciático sofre, ajudando a diminuir as dores nesse nervo e, como a quiropraxia consegue colocar as vértebras no lugar, ela tem a capacidade de curar a dor no ciático e vários outros problemas

De acordo com o Instituto Internacional de Quiropraxia: “a quiropraxia dedica-se ao diagnóstico, tratamento e prevenção de alterações mecânicas (ou disfunções) do sistema músculo esquelético e seus efeitos sobre a função do sistema nervoso e da saúde de maneira geral”.

Remédios não são uma solução para a dor, são apenas paliativos que mascaram a dor no ciático. A quiropraxia atua também aliviando as compressões que o nervo ciático sofre, ajudando a diminuir as dores nesse nervo e, como a quiropraxia consegue colocar as vértebras no lugar, ela tem a capacidade de curar a dor no ciático e vários outros problemas.

 

 

Como se caracterizam as dores no nervo ciático?

O nervo ciático está localizado na parte inferior da região lombar, saindo da lateral das vértebras e se ramificando ao longo de toda a extensão dos membros inferiores e, quando estes nervos inflamam ocorre o problema.

A dor provocada pela ciatalgia pode chegar a atingir toda a extensão das pernas e inclusive os glúteos e os pés, e essa dor pode ser bastante persistente, principalmente durante a noite.

Os sintomas listados a seguir são bastante comuns e, caso esteja com esses mesmos sintomas, não deixe de procurar a ajuda de um Quiropraxista:

  • Dor em apenas um dos lados do corpo;
  • Dor de coluna lombar;
  • Dor que piora quando você está sentado ou caminhando;
  • Fraqueza nas pernas;
  • Pontada ou queimação ao longo da área afetada e;
  • Formigamentos e espasmos musculares;
  • Dor no glúteo.

Veja o posicionamento do nervo ciático, e outros mais, na ilustração abaixo.

Ciatalgia

Com o auxílio de um Quiropraxista, profissional especializado em coluna vertebral, a probabilidade da dor ser reduzida significativamente, já na primeira sessão de tratamento de Quiropraxia, é alta. Já o tratamento completo traz resultados duradouros e efetivos, pois age na causa do problema, eliminando a inflamação do nervo, e consequentemente a dor.

Cerca de 90% das pessoas afetadas pela ciatalgia tem hérnia de disco, que pressiona uma raiz nervosa na coluna lombar. Existem algumas outras causas como tumores, ou até mesmo gravidez, por conta da compressão causada pelo peso da barriga.

Na maioria das pessoas o problema desaparece em cerca de uma ou duas semanas após o início do tratamento de Quiropraxia, e, em caso de cirurgia, se for o caso, deverá ser avaliada os pós e contras, pois só é recomendada como última opção, na ocorrência de complicações, como por exemplo, quando, por conta do problema, a pessoa não consegue mais ter controle sobre o intestino e a bexiga.

 

Tipo de dor ciática e fatores de risco

Podemos dividir a dor ciática em dois tipos: a aguda e a crônica. Ambas podem ser tratadas por um Quiropraxista.

A dor ciática aguda é a mais forte, podendo ser aliviada através de compressas de água quente e fria, e manipulação articular. Em menor escala se recomenda uso de medicação.

Já a dor ciática crônica, caracterizada por intensidade de dor mais leve, porém que persiste ao logo dos dias, sem grandes impactos na mobilidade do paciente, também pode ser tratada através da Quiropraxia.

Ciatalgia 4

Essas dores ciáticas têm início na coluna e se espalha para a parte posterior da perna, e comumente, são somente de um lado do corpo. Também podem ser diagnosticadas pela própria pessoa, que geralmente podem apresentar os seguintes sintomas:

  • Dores locais: nas costas, nas nádegas ou no quadril;
  • Tipos de dor: se espalhando, de maneira leve ou com mais intensidade;
  • Dores circunstanciais: ao sentar, levantar, ou devido a alguma lesão;
  • Fatores sensoriais: incidência de formigamento ou dormência nas pernas e nos pés;
  • Fraqueza muscular;
  • Mancar ou claudicar;

A idade é um fator de risco para a ciatalgia, mas esse não se pode mudar (muitos gostariam). É importante ficar atentos a outros fatores, a saber:

  • Obesidade – que além de causar dor no nervo ciático também é um fator de riscos para várias doenças;
  • Sedentarismo – há a necessidade da pratica de exercícios físicos de maneira regular para a saúde do corpo humano de um modo geral;
  • Jornada de trabalho extensa – principalmente os trabalhos que exigem muito das costas, como os que precisam carregar peso, ou mesmo os motoristas, que ficam horas na mesma posição;
  • Má postura corporal – que acaba forçando a coluna vertebral de uma maneira errônea.

 

Veja abaixo algumas das principais causas da ciatalgia:

  • Estenose lombar – é um estreitamento da medula espinhal que comprime o nervo ciático
  • Espondilolistese – refere-se ao deslizamento de um disco através da vértebra para baixo, também fazendo compressão no nervo ciático
  • Tumores – que possam vir a comprimir o nervo ciático
  • Infecções – localizadas dentro da coluna vertebral e até infecções pelo vírus do herpes
  • Lesões – ao longo da coluna vertebral
  • Síndrome da cauda equina – afeta os nervos da parte inferior da medula espinhal, rara e muito grave por sinal, pois pode danificar o sistema nervoso de maneira irreversível, causando a paralisia
  • Síndrome do músculo piriforme – contratura, encarceramento e hipertrofia do músculo
  • Trauma – perturbação causada por lesão física
  • Anomalias congênitas – problemas de ordem genética, perturbação, malformação, deformação ou displasia
  • Osteoartrite – inflamação articular que também atinge o osso
  • Fratura pélvica – geralmente ocasionada por acidentes de trânsito, ou traumas de alta intensidade em jovens, ou até mesmo quedas mais bruscas.   
 
Dicas e sugestões: o texto acima é meramente informativo.
 Fonte de pesquisa:  Google
 
AVISO IMPORTANTE:  ANTES DE INICIAR ALGUM TRATAMENTO, PROCURE SEU MÉDICO PARA ORIENTAÇÃO